Aos meus pais, avós e amigos.
A toda vida...
A toda a natureza..

Traduzir / Translate this blog

O Ângulo Morto do Amor...



O Ângulo Morto do Amor...



Folhas de papel que se dobram
No agitar da esquina
Um mendigo abraça uma árvore
E um veado corre no asfalto
À procura de um relógio suspenso na moldura
Do céu

Um galho de pedra
Com estátuas de pedra
E lágrimas de pedra
Escondem um interior de vida
Um retrato a carvão que nasce na minha mão
E a saudade de quem fui há 1000 anos atrás
Presa na fotografia do que serei
Amanhã...

Às vezes...
Deslumbre em ti...
A orvalhada folha de eternidade...
E o pólen secreto de respirar...
É o momento chave desta vida...

Às vezes...
O amor tem um ângulo morto
Oculto da visão
Como um espelho que esconde
O que está nos dois lados do coração...

E assim...
Por mais que a nota musical vibre
E o tom seja ténue ou forte
O piano deixará sempre entre o sustenido de cada nota
Uma nota inaudível por descobrir

E assim...
Por mais que o verso possa crescer
Será sempre pequeno demais
Para o sentir que nele possa haver

E aí...
Também o vento
Que nos toca
Deixa sempre versos em branco
Por cumprir

Os mesmos que ontem... hoje... ou amanhã...
Farão parte da história
De mais um ângulo morto do amor...
Que acabaste de pressentir...!

E nesse instante...
Também tu...amigo...
Deixarás na fronte do espelho...
O ângulo morto do amor..
Que também existe
Dentro de ti...


Pedro Campos

2 comentários:

Anónimo disse...

Mto bonitos os seus poemas. Simples mas de grande beleza. Vou continuar a ler....

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.